Demurrage de contêiner: descubra o que é e como reduzir os custos

demurrage

Na importação de produtos, um dos recursos mais utilizados para transportar as cargas é o contêiner. Quando a carga chega ao país, é preciso realizar o desembaraço aduaneiro no porto antes de enviá-la ao destinatário. Existem situações em que o contêiner fica no terminal por apenas cinco dias, mas há casos em que esse período se estende por mais de 30 dias.

O fato é que, quando o contêiner é ocupado no terminal por um período maior do que o contratado, acontece o que chamamos de demurrage.

Se você não entende muito sobre o assunto, o artigo de hoje é para você. Siga a leitura e conheça o que é demurrage de contêiner e como ele afeta os custos das operações logísticas.

O que é demurrage de contêiner?

Demurrage, também conhecido como sobreestadia, consiste na cobrança de um valor ao importador quando o contêiner fica no terminal portuário por um período maior do que o prazo contratado. 

O prazo é definido pelo armador (empresa responsável por realizar o transporte marítimo) em contrato assinado pelo importador. Nesse contrato, também já fica estabelecido o valor da cobrança de demurrage caso o proprietário da carga atrase a devolução do contêiner.

A contagem do prazo começa a valer a partir do dia seguinte da chegada do recipiente com a carga ao porto de destino. Então, quando a ocupação do contêiner ultrapassa o tempo previsto, é preciso fazer o pagamento de demurrage, que funciona como uma multa cobrada pelo descumprimento do prazo.

Todavia, é importante destacar que tanto o prazo quanto o valor são negociados previamente à assinatura do contrato de transporte. Portanto, não existe uma taxa fixa de demurrage, pois ela varia conforme o volume, o tipo da carga e até mesmo o porto de destino. Além disso, sua cobrança é calculada de maneira proporcional ao tempo extrapolado.

Quais as principais causas?

Existem muitos fatores que podem levar o importador a pagar a taxa de demurrage. As causas mais comuns são o atraso na entrega da carga, atraso no desembaraço aduaneiro e atrasos na operação portuária.

Outro fator comum é que, por falta de berço livre, muitas vezes há uma grande fila de espera de navios no porto. Com isso, todas as operações logísticas seguintes sofrem com a demora.

Evidentemente, algumas outras situações podem levar ao pagamento da penalidade, como problemas com o transporte ou com equipamentos para fazer a descarga. Há também casos em que não há planejamento ou desembaraço aduaneiro.

O que fazer para evitar a demurrage? 

Uma das melhores maneiras de tal incidência é fazer uma boa negociação dos prazos antes do embarque da mercadoria. Assim, você terá mais tempo para lidar com eventuais imprevistos, como greves e exigências na conferência aduaneira.

Além disso, existem outras estratégias que podem contribuir para que a incidência de demurrage não ocorra. São elas:

1) Fazer o desembaraço da carga em um terminal portuário que possua equipamentos e processos ágeis, de acordo com a sua demanda, para que tudo seja feito dentro do prazo;

2) Contratar o serviço de desova da mercadoria, para que os produtos sejam retirados do contêiner e ele seja devolvido antecipadamente. Isso pode ser feito no próprio terminal de descarga, transferindo a mercadoria para um armazém alfandegado;

3) Contar com uma empresa que realize o transporte aduaneiro para outro recinto alfandegado, como um porto seco. Esse processo é feito através do registro da Declaração de Trânsito Aduaneiro (DTA) e, após o transporte, é só solicitar a desova e devolução do contêiner vazio ao armador;

4) Ter ao seu lado um excelente Despachante Aduaneiro. Esse profissional é indispensável para suas operações logísticas, e fará o possível para evitar ou reduzir os custos de demurrage.

Agora que você entendeu o que é demurrage e como evitá-lo, compartilhe essa informação com sua rede de amigos.

Aqui na Rocha, realizamos as mais diversas operações logísticas. Do desembaraço aduaneiro até a desova de contêineres, temos a expertise que os clientes procuram para reduzir custos e alcançar a eficiência logística.

Para que nossos clientes tenham economia de custos e de tempo, realizamos a transferência das unidades do terminal de descarga para nossos recintos alfandegados, que em Paranaguá é o AZ9 e em São Francisco do Sul é o Porto Seco.

Além da agilidade no desembaraço, nos alfandegados podemos desovar as unidades de imediato e devolver o contêiner vazio, permitindo ao importador a facilidade de deixar a carga armazenada solta, em armazém coberto por um maior período, conforme sua necessidade.

Para conhecer mais sobre nossas soluções aduaneiras, clique aqui.

Você também pode se interessar por: Logística integrada: o que é e quais os benefícios?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.